20 de setembro de 2006

carpe diem


A correria diária em que se tornou a vida faz-nos deixar de aproveitar pequenas grandes coisas que dão cor à vida, que iluminam, que enriquecem. E a máxima epicurista fica ali, emuldurada nas asas do desejo, à espera que as pessoas se apercebam da importância das pequenas coisas. Tenho tentado viver a minha vida de acordo com a a máxima do "carpe diem" e às vezes até acho que consigo, pela plenitude com vivo certos momentos, pela determinação com que me agarro ao momento presente e tento tirar dele o máximo.
Mas às vezes sinto aquela sensação de que há qualquer coisa incompleta, um pedacinho de emoção por viver, qualquer coisa que, mesmo não conseguindo perceber o quê, me deixa com ansiedade.
E então decidi assumir responsabilidades perante mim mesma, e agora perante todos os que por cá passam. Essas responsabilidades passam por me comprometer com a vida a não deixar passar momentos que eu acho que me podem fazer bem, ao corpo e à alma. Assim passo a apresentar uma lista das coisas que às vezes deixo de fazer por falta de tempo, mas que, a partir de hoje, tenho que conseguir fazer. Assim posso dizer que quero:
- contemplar o pôr-do-sol;
- procurar o silêncio e meditar de olhos fechados;
- estar mais com a família e os amigos;
- aumentar o número de terapias de grupo (informalmente chamadas de saídas com as amigas);
- dançar;
- ir ao cinema, no mínimo uma vez por mês;
- ir ao teatro e espectáculos;
- ler mais;
- escrever;
- andar de bicicleta;
- contemplar o céu estrelado e a lua;
- ver mais o mar;
- fazer mais trilhos pedestres na montanha;
- fazer mais voluntariado no hospital;
- ouvir mais música;
- sonhar mais;
- emocionar-me mais;
- aventurar-me mais;
- ...
- VIVER A VIDA AO MÁXIMO!
E a todos os que deixam tantas vezes de fazer aquilo que gostam, espero lembrar-vos da importância de VIVER. É que estar vivos não basta, e então lembrem-se das pequenas coisas que gostam tanto de fazer e não fazem. Quando perceberem que arranjaram tempo para elas, sentirão a sensação de preenchimento e ânimo. E é assim que a vida vale a pena!
Carpe Diem

8 comentários:

Raquel disse...

Como é bom apercebermo-nos das pequenas coisas! Ver o pequeno passáro, uma lágrima ou um sorriso nos olhos,contemplar uma nuvem divertida, escutar um grilo, sentir a brisa, dar um abraço e tantas, tantas outras pequenas grandes coisas! Valem bem a pena!

Anónimo disse...

Olá querida amiga!

Estas palavras relatam a tua vida! O teu dia-á-dia! Fossemos todos como tu!!!

Jacinta disse...

A minha kerida amiga Mónica mais uma vez não assinou o seu comentário. Mas obrigada, amiga, pelas palavras.bj

Lai disse...

É bem verdade!!

Há um texto na Biblia muito conhecido que diz assim:
"Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece"

Bom, antes que "este (o meu) vapor" se desvaneça quero ainda fazer muitas coisas...

DTA
Lai

.: Pedro's Blog! :. disse...

É um excelente conselho, quando dermos conta do que nos passou ao lado quando formos mais velhos, vamo-nos arrepender, e não é preciso fazer coisas mirambulantes, só o simples gesto de dar um passeio e olhar as flores ou o pôr do sol, já faz com que valha a pena estarmos ali a testemunhar as coisas mais bonitas que o mundo tem, e que muitas vezes não damos a menor atenção.

Anónimo disse...

Minha querida Jacinta, sempre poética! Que conforto ler uma coisa destas. já agora aproveito para te contar que já estou a trabalhar. Fiquei com 16 horas em Martnlongo (convido-te a descobrir onde fica) e só te digo que a viagem diária de uma hora pela serra do Caldeirão me permite ver paisagens lindíssimas, isto enquanto curvo e contracurvo milhentas vezes.Kisses

Anónimo disse...

Realmente a vida é muito curta, temos que saber tirar o devido proveito da mesma. Há pequenas coisas que nos enchem a alma e que muitas vezes não sabemos apreciar. Por vezes, começar uma jornada com um simples "Bom Dia" é mais que suficiente para esboçar um sorriso de orelha a orelha. Mas tu, como ninguém sabes usar a máxima "Carpe Diem ".Beijinhos Anabela

Cristina disse...

Faz-me pensar muito essa frase!
Quero unir-me a ti nesta luta não pela sobrevivência pela vivência plena de tudo o que de bom está à nossa volta.
Como diriam os amigos Timon e Pumba: HAKUNA MATATA!
Beijos grandes.