13 de abril de 2009

impacto

Nas asas do vento - me ausento.
Nas sombras do céu - sou eu.
Na vida, a água que corre - me move.
Na mão que seguro - me empurro.
No azul do mar - pairar.
Na ânsia, que na alma levo - o meu medo.
No barco que avisto - persisto.
No além que me dás - a paz.

No sonho que tenho... um abrigo de corais e a lua que me contempla como quem pinta uma tela.
... búzios ao longe...

7 comentários:

DE-PROPOSITO disse...

- sou eu.
------------
Todos nós, somos NÓS. No entanto há quem pretenda que não sejamos. E o incrível, é que por vezes conseguem os seus intentos.
Fica bem.
E a felicidade por aí.
Um beijinho para ti.
Manuel

Charmoso disse...

Humm, parabens, escreves com bastante energia e emoção!

>Volta sempre para uma boa tertúlia!

bjs com charme

;-)

Nilson Barcelli disse...

Que belas palavras tu nos deixas quando queres...
Gostei muito do teu impacto. Mas não te ausentes tanto...
Tudo de bom para ti.
Beijos.

Marlene Maravilha disse...

Que lindo poema amiga! Ainda bem que nao desistes!!
Aonde andas?? Eu desejo que estejas muito bem e que Deus te abencoe muitissimo e a família!
Um lindo domingo e uma abencoada semana!!

Luis Novais disse...

Estás tanto tempo ausente e de repente surpreendes-nos com uma abordagem tão singular à questão que sempre nos atormentou: o "eu" entre o eu e o outro, o cosmos. O eu entre o ser e o não ser. Entre "o ser e o nada".
Vê lá se voltas mais vezes!

Luís

Å®t Øf £övë disse...

Jacinta,
Bonitas palavras cheias de impacto...
Beijinhos.

Å®t Øf £övë disse...

Jacinta,
Desejo-te uma optima semana.
Beijinhos.