11 de julho de 2009

Estado d'alma

No anseio da loucura de minh'alma
Na berma da estrada prometida
Rumando ao horizonte a incerta vida
A insensatez afugentou a calma.

Sem querer perder da vida o sorvedouro
Ou do poeta a musa que o inspira
Os passos desta alma que delira
vagaram noite adentro...luz de ouro.

E lá ao longe que nunca é aqui
Insatisfeita sempre e à procura
Porque esta alma feita de loucura
Entende que não tenho o que perdi.

E permanece a ânsia de viver
No porto onde o sonho é real
Nas asas de um poema imortal
A rima desta alma vou escrever.

10 comentários:

Marlene Maravilha disse...

Que lindo poema, minha linda amiga!
Parabéns pela alma inspirada!
Tenho lá um novo post e a minha alegria.
Deus te abencoe! Saudades!
beijo grande! Uma semana de bencaos e glórias
!

Anónimo disse...

A tua alma parece procurar na luz o calor do amor, na brisa o cheiro do seu par, no eco provindo das montanhas a sua voz ternurenta. Busca e rebusca-te, pois possuis o éter que faz a vida... (Ant.)

Nilson Barcelli disse...

Aparentemente, este estado de alma é mesmo o teu estado de alma.
Mas a tua alma não é louca... apenas procura o que deve ser procurado, mesmo longe.
Belíssimo querida amiga. Fizeste um excelente poema, que gostei muito.
Beijo.

Anónimo disse...

Este blog é especial, cada texto, poema, música, é algo verdadeiramente especial.
É sempre bom ler e... sentir o que corre na alma da autora.
José

Vieira Calado disse...

Um poema muito elegante...

quase um soneto...

Cumprimentos meus

Å®t Øf £övë disse...

Jacinta,
Nunca deixes de escrever as rimas da tua alma, porque nós gostamos de as ler.
Beijinhos.

Marlene Maravilha disse...

Passei para deixar um carinho!

Miguel disse...

Dizem que a poesia não se interpreta, sente-se. Mas tenho de dizer algo sobre o que escreveste, não é uma interpretação do conteúdo antes uma reflexão sobre a qualidade daquilo que li.
Não é por simpatia, até porque acho que as coisas ditas por dizer são um insulto para quem são dirigidas, mas... tocou-me muito este teu poema, a sua construção, a ligação das diferentes frases, a riqueza da linguagem, o sentido de tudo... Li-o, reli-o, senti-o. Adorei, e mais do que isso fiquei orgulhoso (perdoa-me o paternalismo) do teu talento. Muitos parabéns.
Miguel

Å®t Øf £övë disse...

Jacinta,
Deixo-te um beijo, e o desejo de uma boa semana, à minha passagem por cá hoje.

Joyce Lemounier disse...

Jacinta,
Quero parabenizá-la peo lindo poema... se vc puder leia o meu...ok
Bjinhos...:)