18 de outubro de 2006

Tempo


Na nostalgia deliciosa do meu momento
recordo as cores, os sons e um certo aroma...
Tudo me invade a alma e me completa.
A sombra do que foi alcança o tempo
mas traz a certeza da fugacidade,
traz a urgência de movimento,
de mais cores, novos sons...
A serenidade e a plenitude necessárias à contemplação
urgem, precipitam-se na convicção do valor do tempo.
E vivo para que nada em mim se perca ou falte!
Porque o dia é o meu dia...

5 comentários:

Lai disse...

E vivo para que nada em mim se perca ou falte!
Porque o dia é o meu dia...

Gostei muito!

abraços
Lai

Cristina disse...

Olá Amiga.
Se tivesse que escolher um texto que descreva exactamente o meu sentimento hoje, seria o teu... Está lindo. Continua assim, a inspirar-nos com as tuas palavras e com o teu coração lindo.
Beijos de saudade.

Raquel disse...

Os belíssimos últimos versos podem bem ser um excelente lema de vida!

Paulo Sempre disse...

Como alguém disse: "o sonho comanda a vida..
Todavia é apenas sonhar e nos sonhos - que é saiba - não há o verdadeiro aroma das coisas, dos instantes há, isso sim..., é a probalidade de ao sonho se seguir um real pesadelo. De facto, por vezes, a realidade é dura demais, né?

Beijos

PS: Obrigado pela sisita.

Jacinta disse...

Sim, Paulo a realidade é por vezes demasiado dura. Mas saber agarrar o que a vida tem de belo e agradável é o caminho para a felicidade. E, claro, que cada momento tem um aroma, um som, uma cor... Obgda pela visita tb.