12 de setembro de 2007

António Branco

Há pessoas que marcam a nossa passagem de uma forma extraordinariamente poderosa - que fica para sempre na memória. Quem não teve um professor ou uma professora que tenha sido uma influência (boa - hoje só vou falar de boas influências)?
Hoje relembro alguns com carinho e saudade, recordo inclusive frases ou hábitos que marcavam as suas personalidades. Confesso que a ideia de eu o poder ser também na vida de alguém, me dá uma satisfação inefável.
Poderia começar pela infância, passar pela fase da adolescência, e teria certamente muito a contar. Mas vou mais perto no tempo, aos anos de faculdade, só para relembrar com carinho um professor admirável, com a capacidade de tornar todas as aulas tremendamente curtas. Quero deixar toda a minha admiração e agradecimento ao Prof. Dr. António Branco da Universidade do Algarve, pela paixão que dedica ao conhecimento, ao estudo, ao ensino da literatura... é formidável quando um professor transmite tudo isto aos alunos.
Deixo-vos um soneto deste professor que ficará para sempre na minha memória e na memória de muitos alunos que tiveram o privilégio de assistir às suas aulas.
Ira
.
É ira estar aqui e nada ser,
Do mundo querer razão p'ra ser alguém,
Salvar identidades de ninguém,
Na esperança de ganhar um só segundo.
.
É ira estar aqui e ser além,
Entre a velha morte e o novo andar,
Calçar a alma de fundos de mar,
Sofrer a culpa imune desta Sorte.
.
Desmesurada de ostras por abrir,
A ira mais medonha, mais espiga,
Quanto mais o desejo enfurecer.
.
E a calma engana a ira, no dormir.
Mas fica sempre a raiva tão antiga
De nunca estar aqui - e nada ser.
.
António Branco in Fugidia Comunhão

12 comentários:

Anónimo disse...

Agora é que tu disseste tudo amiga... Não há, nem nunca haverá outro Branco para nós, a maneira como lhe bebíamos as palavras e os gestos, como admirávamos a sua sensibilidade, cultura e percurso de vida. Que homem admirável! Com ele descobrimos segredos extraordinários atrás de textos aparentemente simples e desinteressantes, com ele voávamos no tempo até às cortes e aos trovadores, com ele fomos felizes e realizadas. Na verdade, nunca mais senti tamanha plenitude como sentia nas aulas dele. Na verdade, acho que nunca produzirei num aluno metade do efeito que ele produziu em nós. Hoje e sempre, o nosso professor mais tudo! Felicidade foi tê-lo e poder compartilhá-lo com amigas como tu. Um grande beijinho. Sandra Miguel

Pepe Luigi disse...

Ola Jacinta
Gostei muito de percorrer o seu blog nomeadamente do seu poema "Momento".

Cristina disse...

Quem esquecerá o Professor António Branco?

Jamais me esqueço de como, de olhos esbugalhados, escutávamos a sua voz: doce e tão culta que me fazia tremer.

Como a Sandra diz, ouvi-lo era viajar pelo tempo, era amar cavaleiros e suas donzelas, era quase como estar 'in loco' no momendo da declamação das trovas que nos fizeram sonhar a todas.

Adorei esta homenagem.

Devíamos procurá-lo por aí...
Vale o desafio?

Beijos!

Cristina disse...

Já agora, visita o currículo de outro professor marcante:

http://www.fchs.ualg.pt/ceao/INC/CV-j.j.dias.htm

Cristina disse...

antoniobranco.ab@sapo.pt

Jacinta Correia disse...

Miga já viajei pelos CV dos nossos GRANDES PROFESSORES. Tb encontras o do Branco se procurares no título do seu livro de poemas. Mas fica mm o desafio de sabermos mais kk coisa sobre eles. Vamos procurar as teses de doutoramento. Devem ser verdadeiras obras. E já agora, melhor do k tudo isto, seria juntarmo-nos um fds e falarmos sobre eles, sobre tudo aquilo que os 5 anos representaram,sobre nós, sobre hoje e matar muiiiiiiiiiitas saudades acumuladas. Este sim, é o desafio que eu deixo.BJ.

O Chaparro disse...

passei p desejar bom resto d semana

António disse...

Olá Cristina.

Não tenho o prazer de a conhecer e de falármos do Branco, mas dou-lhe uma ajuda: GOLDMUNDO em vizinhança no meu blog.

antonio

Marlene Maravilha disse...

Sempre digo que é por demais importante passar na vida e fazer diferenca! Que tenhas uma linda semana!
Lindo texto e poema!
beijos

Anónimo disse...

Todos nós temos pessoas que nos marcaram muito, sejam elas professores, amigos, amores e muito mais..., mas um professor que faz mais do que nos ensinar fica gravado na nossa memória com uma profundidade que nos faz pensar nesses momentos com se fosse hoje.

Beijos

Ass. You Know

Å®t Øf £övë disse...

Jacinta,
Há realmente pessoas que passam pela nossa vida, e que deixam marcas para todo o sempre. São este tipo de pessoas que nos ajudam a ser aquilo que cada um de nós é hoje.
Bonita esta tua lembrança, e homenagem.
Bjs.

Ana Prado disse...

Olá Jacinta,
não nos conhecemos, embora tenhamos algo muito forte em comum: a profunda admiração e respeito pelo Professor Doutor António Branco.
Se hoje, e apesar de tudo, sou professora, devo-lho a ele e aos indizíveis momentos que experimentei nas suas aulas.
Deixo um abraço