29 de janeiro de 2008

Um olhar


Um olhar sobre mim...

Sem a mácula da subjectividade

que me faz ver o que não sou

saio de mim para me olhar

e, inversamente ao que havia pensado,

deparo-me com a complexidade

que, ao aproximar-me, se adensa.

Um olhar sobre mim?

Um livro que, página a página, terei que ler até ao fim...

Uma história feita de histórias que me povoam...

Caminhos feitos de rectas,encruzilhadas, muitas subidas íngremes...

... e calçadas... declives... sempre com um vislumbre de grandes alamedas.

Uns passos eu escolhi, outros... foram, inadvertidamente, impostos

por mim a mim mesma.

Um olhar sobre mim!

Decifrar o enigma do que dizem que sou

como um segredo que o universo me incumbiu de descobrir.

O livro que estou a ler é feito de páginas que já lá não estão

e a minha história revela muito pouco do que sou.

Mas o olhar sobre mim, esse, dita-me,

em voz silenciosa que me chega a ensurdecer,

que a minha busca está longe do fim,

que o meu enigma sou eu

e os meus obstáculos sou eu

e os meus anseios sou eu

e a minha plenitude... serei eu -

- quando o meu olhar me alcançar.






12 comentários:

coisas&letras disse...

Oi,
antes de mais muito obrigada pela visita e pelo simpático comentário :)
Serás sempre muito benvinda!

Em relação ao que acabo de ler tenho a dizer que está lindo!
Este livro que carregamos, é o único que não podemos deixar a meio... portanto cabe-nos a nós determinar-lhe o género.

Voltarei concerteza!
Fica então um até já e um beijo:
C&L :)

markus disse...

Olá JC,
Lindo o teu olhar sobre ti, parabéns.Tens força nas palavras.
Bom resto de semana***Bjos

Paulo Sempre disse...

Os teus poemas trazem geralmente dentro deles as pessoas...e, por vezes, estas têm um "olhar" de mar alagadiço....e/ou de pranto.
Interessante!!!
Beijo

Å®t Øf £övë disse...

Jacinta,
Quantas vezes ao olharmo-nos a nós mesmos, ou a olharmo-nos ao espelho, percebemos que nem a nós nos conhecemos, e muito menos conseguimos prever as nossas reacções no momento seguinte, mas inevitávelmente caimos sempre no erro que termos a pretensão que os outros nos conheçam bem, e sejam capazes de antever como vamos reagir a determinadas situações.
O ser humano, é realmente demasiado complicado e complexo...
Beijinhos.

Å®t Øf £övë disse...

Já agora... desejo-te um bom Caranaval.

Nilson Barcelli disse...

Gostei imenso deste teu olhar.
Escreves bem e é agradável ler-te.

Mas... não estás a ser demasiado exigente contigo ptópria?

Bfs, beijinhos.

O Profeta disse...

Os pesares dividem as marés
A idade do ouro ainda tarda
Os anos passam como gotas varridas
Por um tempo que retrata o nada


Convido-te a saborear um absinto no meu espaço
pela Taça de Fino Ouro



Mágico beijo

Jacinta disse...

Lindo o seu olhar.
Também eu vivo me procurando, e, penso que o olhar é o princípio...
Um beijo

Jacinta

Já sabes quem sou :):):) disse...

Amiga, realmente tens esse maravilhoso dom de transpor os sentimentos em letras/palavras.Mais uma vez leio e volto a ler os teus textos e fico encantada e consigo ver algumas "paginas" do meu livro... és o máximo!!!
bj :)

Pepe Luigi disse...

Gosto imenso da tua poesia de sabor introspectivo.
Parabéns.

Um beijinho
do Pepe

markus disse...

Olá Jacinta,
vim apenas deixar um carinho e desejar-te tudo de bom***

Jorge Pessoa e Silva disse...

Posso não me orgulhar de muita coisa que fiz na vida. Posso olhar no espelho e não gostar de muitas coisas que sou. Mas esse teu olhar faz-me sentir que conhecer amigos e pessoas como tu é das coisas que mais me orgulho na vida.

Beijinhos e escreve mais, por favor

Jorge silva