25 de maio de 2006

O que procuramos?


A nossa vida é uma busca diária. Uma busca individual ou colectiva; em silêncio ou estrondosa; voluntária ou não; bem sucedida ou nem tanto. Mas, diariamente, buscamos. Sem saber o quê, porquê ou qual a melhor forma. Nós lá vamos... ansiosamente buscando. Essa busca implica o encontro - encontramos, às vezes o que menos esperamos. E, incessantemente, diariamente, fervorosamente, continuamos... E a vida só faz sentido assim... com o objectivo da procura de algo novo, válido, grande; com a conquista e a vitória e as derrotas construtivas; com os desafios e as dificuldades encontradas. Dia-a-dia, com determinação e às vezes saboreando o cansaço, vamos edificando o castelo em que nos queremos tornar - resistentes, sublimes, admiráveis mas acolhedores e protectores dos que amamos.
Dispostos a percorrer sendas, a atravessar desertos, a subir morros, a descer ladeiras, a cair e a recuperar novo fôlego... e a continuar.
E afinal, o que procuramos? Nós sabemos só que procuramos seja o que for que nos possa trazer Amor, Paz, Tranquilidade, Bem-Estar... O encontro é com os outros e com nós mesmos na ânsia de nunca estarmos SÓS.

2 comentários:

Cristina disse...

Afinal, que sentido faria a vida sem esta procura incessante de que falas? O tempo correria sem propósito algum e rapidamente nos sentiríamos fechados num círculo rotineiro de ausência de objectivos. Que tudo o que fizermos, ou o que dissermos, que tudo o que construírmos tenha um alvo - só desse modo daremos significado à nossa existência. Mas que o alvo principal seja sobretudo o AMOR - a Deus, à família, aos amigos, aos necessitados, aos pobres de espírito e a nós próprios.
Beijos e força neste teu dom maravilhoso da escrita!

Miguel... disse...

Nunca estamos, mas as vezes sentimonos...